Polícia

Polícia Civil realiza 2ª etapa da operação CC Card e autua mais três suspeitos por receptação em Alvorada

  • Publicado em 28/Fev/2018 às 20h25 ( atualizado às 20h29).

Rogério de Oliveira/Governo do Tocantins



A Polícia Civil do Tocantins, por meio de uma ação conjunta realizada pela Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos (DRCC) e da Central de Flagrantes de Alvorada, deflagrou, na manhã desta quarta-feira, 28, no Sul do Estado, mais uma etapa da operação “CC Card”, a qual resultou na autuação de três pessoas, suspeitas pela prática do crime de receptação.

Conforme a delegada Rosalina Maria de Almeida, a ação foi desencadeada após uma vítima comparecer a Central de Atendimento da Polícia Civil, em Palmas, informando que alguém havia feito, sem seu consentimento, três compras de aparelhos celulares, utilizando os dados da vítima, e que os produtos haviam sido entregues, em uma residência, localizada em Alvorada.

Com base nas informações, a equipe da Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos deu início às investigações a fim de apurar as circunstâncias do crime. Logo em seguida, a equipe de policiais civis da Central de Flagrantes de Alvorada, coordenada pela delegada Rosalina e com apoio da Polícia Militar, localizou Luis Henrique Barbosa de Oliveira, de 23 anos de idade, na cidade do sul do estado.

Ao ser ouvido, o homem afirmou que havia, de fato, retirado dois aparelhos celulares, que haviam chegado à agência dos Correios de Alvorada e entregue os mesmos em uma loja de produtos eletrônicos, pertencente ao casal Mizael Pereira Figueira, de 32 anos e Hanna Priscila Borges Soares, de 27 anos.

Desta maneira, os policiais foram até a loja do casal, onde localizaram e apreenderam os dois aparelhos celulares, bem como vários outros aparelhos, supostamente de origem duvidosa. Diante dos fatos, Hanna e Mizael foram autuados em flagrante pelo crime de receptação.

No entanto, Mizael pagou fiança de R$ 5 mil reais e Hanna recolheu aos cofres públicos, a quantia de R$ 3 mil reais. Deste modo, ambos os indivíduos obtiveram o direito de responder ao processo criminal em liberdade, conforme determina a legislação vigente. Por não estar mais em situação de flagrância, Luis Henrique foi ouvido e autuado em flagrante, também pelo crime de receptação e, logo após, colocado em liberdade.

As investigações foram intensificadas com o objetivo de localizar e prende os autores das compras ilegais com a utilização dos dados da vítima.

A operação CC Card foi deflagrada pela Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos, na última segunda-feira, 26, em Palmas, e mais três municípios do interior do estado, visando combater um esquema fraudulento de compras pela internet, com a utilização de cartões de créditos clonados.